Como definir um problema de pesquisa?

Parte importante da pesquisa, muitas vezes é também a mais difícil. Como delimitar o problema da pesquisa?

É importante esclarecer que uma coisa é o seu tema de pesquisa.

Outra é o seu problema de pesquisa.

O tema é uma proposição mais abrangente, é um assunto que se deseja provar ou desenvolver.

Já o problema consiste em dizer de maneira clara, compreensível e operacional, qual a dificuldade com a qual nos defrontamos e que pretendemos resolver.

Outra coisa importante de pontual é que nem todo problema é passível de tratamento científico.

É preciso identificar o que é científico daquilo que não é.

Mas o que isso quer dizer?

Quero dizer que um problema é de natureza científica quando envolve variáveis que podem ser tidas como testáveis.

Algo que é passível de ter uma hipótese que pode ser comprovada ou refutada.

Ambos, problema e hipótese são enunciados de relações entre variáveis.

E necessárias a pesquisa.

A diferença reside em que o problema constitui sentença interrogativa e a hipótese sentença afirmativa.

problema

Como formular um problema

O processo de formular um problema não é tarefa fácil.

Há de se reconhecer que o treinamento desempenha papel importante nesse processo.

O treinamento é uma atividade que exige dedicação e orientação.

Mas além disso, considerar alguns aspectos do problema, ajuda na hora de elabora-lo.

  • Deve ser formulado como pergunta

Pois esta é a maneira mais fácil e direta de formular um problema.

O ato de estruturar perguntas possibilita identificar o cenário que envolve o tema, aquilo que se quer pesquisar.

A pergunta atua como um vetor orientando o caminho, os métodos a serem utilizados no decorrer do trabalho.

O sentido físico do seu trabalho é muito importante e não deve ser perdido.

Isto deve também se manifestar na capacidade de discernir a parte essencial de um trabalho cientifico, sem perder nos detalhes ou nos aspectos secundários de uma técnica.

A atividade de formular um problema em forma de pergunta atua como um facilitador para que se consiga discernir o essencial do supérfluo.

  • Deve ser claro e preciso

Estando como tema já delimitado é preciso ficar atento para estruturar a pergunta referente ao problema.

E que a mesma atenda aos requisitos: ser e clara e precisa.

Isso significa que precisa estabelecer o que se pretende pesquisar.

E precisa também identificar os elementos e instrumentos que serão utilizados no decorrer do trabalho.

É desejável que se enfatize aspectos de síntese, mas que não se esqueça que a imaginação é mais importante que a erudição.

  • Deve ser empírico

Os problemas de pesquisa não devem envolver valores, julgamentos morais e considerações subjetivas, ponto este que invalida a pesquisa científica.

Ao estruturar o problema de forma empírica é preciso identificar as maneiras como será feito o processo de coleta, estudo e analise dos dados coletados.

É preciso deixar claro que os resultados alcançados são frutos de um processo de observação cientifica, onde os julgamentos de valor do pesquisador ficaram ausentes.

  • Deve ser suscetível de solução

No processo de formular o problema de pesquisa é necessário que se conheça os recursos tecnológicos que serão envolvidos na solução do problema.

Pois podemos estabelecer problemas que para resolvê-los não há instrumentos e técnicas desenvolvidas e apropriadas.

É preciso saber identificar e separar o que é cientifico daquilo que não é.

Esse é um ponto, que muitas vezes, causa dúvida ao iniciante no processo de pesquisa.

Pois a primeira vista, tudo parecer ser importante.

Neste momento a figura do orientador é fundamental para resolver este impasse.

  • Deve ser delimitado a uma dimensão viável

É necessário, que o problema estruturado identifique a dimensão a ser pesquisada, traduzindo um universo delimitado e devidamente caracterizado.

Fato esse, que possibilita melhor percepção acerca dos problemas, bem como possibilita clara relação dos meios de investigação a serem utilizados.

Um ponto de extrema importância é que a pesquisa de pós-graduação jamais deveria parecer imitação de pesquisa.

Ou seja, algo destinado apenas à obtenção de um título ou ao atendimento de uma formalidade.

Mas como pesquisa cientifica real, que se integre utilmente na bibliografia e possa movimentar outras mentes e acionar novas idéias.

By | 2017-11-27T10:39:02+00:00 27.11.17|0 Comentários

Sobre o Autor:

Graduada em Ciências Biológicas (licenciatura) pelo Centro Universitário Claretiano de Batatais, Mestre em Ciências (ênfase Ensino de Biologia) pela Universidade de São Paulo. Trabalha com biologia geral, com ênfase em estratégicas didáticas e linguagem.

Deixar Um Comentário