O que é ser professor

Em 15 de outubro de 1827, Dom Pedro I baixou o decreto imperial que criou o ensino elementar no Brasil.

Para que todas as cidades, vilas e lugarejos tivessem suas escolas de primeiras letras.

15 de Outubro também é uma data consagrada pela igreja católica à educadora Tereza D’Ávila.

Ela foi canonizada em 1622 como Santa Tereza de Jesus (ou Santa Tereza D’Ávila) e reconhecida pela notável inteligência, sendo eleita “Padroeira dos Professores”.

A data começou a ser comemorada, sem muita repercussão, no inicio da década de 30.

Mas comenta-se que apenas em 1947 houve o primeiro evento voltado aos Professores.

Em 13 de outubro de 1948, o Projeto foi transformado na Lei estadual nº 174 e, a partir daí, foi divulgado e correu por quase todos os estados que aprovaram leis instituindo o Dia do Professor em 15 de outubro.

E com o decreto federal tivemos o reconhecimento dessa data tão especial.

Houve um tempo que ser professor era comparado a ser sacerdote do saber.

Era a manifestação de uma vocação ou missão transcendente, não o exercício de um ofício, uma profissão.

O panorama atual do docente não é dos mais animadores.

Sem reconhecimento, sem condições de trabalho, sem um salário digno e mil outros desafios que enfrentamos todos os dias.

Ser profissional da educação hoje é acima de tudo saber continuamente renovar sua profissão.

Isso porque, além de todas as dificuldades que enfrentamos, somos um eterno aprendiz.

Afinal, o professor nunca está pronto, acabado.

Está sempre em processo de (re) construção de saberes.

Ser professor não é uma vocação, embora alguns a tenham.

Não é uma técnica, embora requer uma excelente operacionalização técnico-metodológica.

É ser um profissional de ensino, competente, legitimado por um conhecimento específico exigente e complexo.

É buscar dentro de cada um de nós forças para prosseguir.

Mesmo com toda pressão, toda tensão, toda falta de tempo.

Ser professor é se alimentar do conhecimento e fazer de si mesmo janela aberta para o outro.

É formar gerações, propiciar o questionamento e abrir as portas do saber.

Ser professor é lutar pela transformação.

É formar e transformar, através das letras, das artes, dos números.

Ser professor é conhecer os limites do outro.

E, ainda assim, acreditar que ele seja capaz.

Estimular o outro a ser capaz.

Ser professor é também reconhecer que somos, acima de tudo, seres humanos.

E que temos licença para rir, chorar, esbravejar.

Porque assim também ajudamos a pensar e construir o mundo!

Feliz dia, professor!

By | 2017-10-15T09:55:25+00:00 15.10.17|0 Comentários

Sobre o Autor:

Graduada em Ciências Biológicas (licenciatura) pelo Centro Universitário Claretiano de Batatais, Mestre em Ciências (ênfase Ensino de Biologia) pela Universidade de São Paulo. Trabalha com biologia geral, com ênfase em estratégicas didáticas e linguagem.

Deixar Um Comentário