O que faz um tutor no ensino a distância?

O que seria um tutor? Um mestre? Um educador?

Aquele que ultrapassaria a visão restrita do especialista, do conteudista?

Um educador que transcende o papel de motivador, de facilitador?

O tutor se baseia no compromisso com a formação de alunos que pensem e sejam capazes de discutir e elaborar conhecimento.

Um tutor é um educador, que acompanha o desenvolvimento das atividades no ambiente virtual.

O tutor é aquele que instiga a participação do aluno evitando a desistência, o desalento, o desencanto pelo saber.

O papel do tutor ultrapassa a visão puramente técnica.

Além da competência científica da especialidade  também requer competência para instrumentalizar a tecnologia.

O papel do Tutor supera o conceito reducionista de propostas estritamente técnicas.

O tutor estabelece o diálogo com o aluno, media problemas de aprendizagem , sugere, instiga, acolhe.

É um professor no espaço virtual, que exerce a sua função de formar o aluno.

O que exatamente faz um tutor?

A tutoria é necessária para orientar, dirigir e supervisionar o ensino aprendizagem.

Ao estabelecer o contato com o aluno, o tutor complementa sua tarefa docente transmitida através do material didático, dos grupos de discussão, listas, correio-eletrônico, chats e de outros mecanismos de comunicação.

Assim, torna-se possível traçar um perfil completo do aluno.

E a partir do trabalho que ele desenvolve, do seu interesse pelo curso e da aplicação do conhecimento pós-curso.

O tutor realiza a intercomunicação dos elementos (professor-tutor-aluno) que intervêm no sistema.

E os reúne em uma função tríplice: orientação, docência e avaliação.

É papel do tutor:
  • comentar os trabalhos realizados pelos alunos;
  • corrigir as avaliações dos estudantes;
  • ajudá-los a compreender os materiais do curso através das discussões e explicações;
  • responder às questões sobre a instituição;
  • ajudar os alunos a planejarem seus trabalhos;
  • organizar círculos de estudo;
  • fornecer informações por telefone, fac-símile e e-mail;
  • supervisionar trabalhos práticos e projetos;
  • atualizar informações sobre o progresso dos estudantes;
  • fornecer feedback aos coordenadores sobre os materiais dos cursos e as dificuldades dos estudantes e
  • servir de intermediário entre a instituição e os alunos.

A diferença entre o docente e o tutor é institucional, que leva a consequências pedagógicas importantes.

As intervenções do tutor na educação a distância, demarcadas em um quadro institucional diferente distinguem-se em função de três dimensões de análise (Litwin, 2001).

  • Tempo

O tutor deverá ter a habilidade de aproveitar bem seu tempo, sempre escasso.

Ao contrário do docente, o tutor não sabe se o aluno assistirá à próxima tutoria ou se voltará a entrar em contato para consultá-lo.

Por esse motivo aumentam o compromisso e o risco da sua tarefa.

  • Oportunidade

Em uma situação presencial, o docente sabe que o aluno retornará.

E caso este não encontre uma resposta que o satisfaça, perguntará de novo ao docente ou a seus colegas.

Entretanto, o tutor não tem essa certeza.

Tem de oferecer a resposta específica quando tem a oportunidade de fazer isso, porque não sabe se voltará a ter.

  • Risco

Aparece como consequência de privilegiar a dimensão tempo e de não aproveitar as oportunidades.

O risco consiste em permitir que os alunos sigam com uma compreensão parcial, que pode se converter em uma construção errônea sem que o tutor tenha a oportunidade de adverti-lo.

O tutor deve aproveitar a oportunidade para o aprofundamento do tema e promover processos de reconstrução, começando por assinalar uma contradição.

 

By | 2017-12-08T17:48:41+00:00 09.12.17|0 Comentários

Sobre o Autor:

Graduada em Ciências Biológicas (licenciatura) pelo Centro Universitário Claretiano de Batatais, Mestre em Ciências (ênfase Ensino de Biologia) pela Universidade de São Paulo. Trabalha com biologia geral, com ênfase em estratégicas didáticas e linguagem.

Deixar Um Comentário