Design Thinking: um novo caminho para resolver problemas educacionais

O design thinking ou pensamento de design é um modelo de pensamento.

É uma metodologia amplamente difundida nos últimos anos por Tim Brown.

Mas o que isso significa?

No contexto educacional significa desenvolver um processo intencional para chegar a soluções criativas e criar impacto positivo.

Ou seja, é a busca de soluções para nossos problemas cotidianos, desenvolvido colaborativamente e centrado no humano.

Sua abordagem parte de um pressuposto que considera o objeto em si e se concebe por meio dele.

O design thinking encara desafios como oportunidades.

Oportunidades de melhorar e de crescer.

O design thinking integra o que é desejável do ponto de vista humano ao que é tecnológica e economicamente viável.

Além disso, é possível aplicar técnicas de design a uma ampla gama de problemas.

Isso porque, o design thinking promove o equilíbrio entre o pensamento analítico e intuitivo.

O que permite às organizações gerar inovações para aumentar a eficiência e competitividade.

Em essência, o design thinking permite que se passe do complexo ao simples, por meio do que ele se refere como o “funil do conhecimento”.

Para que posso usar Design Thinking?

Em qualquer desafio!

Entretanto, há um conjunto consistente de desafios que professores e escolas costumam enfrentar.

Principalmente os ligados ao planejamento e ao desenvolvimento de experiências de aprendizado (currículo), ambientes de aprendizagem (espaços), programas, projetos e experiências escolares (processos e ferramentas) e estratégias, objetivos e políticas (sistemas).

Como o design thinking pode te ajudar?

  • Currículo

Todos os dias você desenvolve maneiras de interagir com seus alunos para ensinar conteúdos.

Você pode utilizar um processo de design para:

  • ser mais intencional ao relacionar esse conteúdo aos interesses e desejos dos aprendizes de hoje;
  • saber mais sobre as coisas que eles fazem fora da escola e
  • conectar isso ao conteúdo que você vai apresentar a eles.

Com isso você pode pensar sobre:

  • Como posso inspirar meus alunos a se envolver em questões relativas ao meio ambiente?
  • Como posso engajar meus alunos de maneira convincente a aprender história mundial?
  • Como posso preparar meus alunos a buscar conhecimento ativamente em assuntos que eles dominam pouco?
  • Como posso ajudar crianças de famílias de baixa renda a melhorar seu vocabulário?

  • Espaços

O ambiente físico da sala de aula diz muito sobre como você quer que os alunos se comportem.

Nossa tendência é pensar que os espaços da sala de aula são padronizados: crianças em fileiras, sentadas em suas carteiras.

Ao repensar os espaços, podemos mandar uma nova mensagem aos estudantes sobre como eles devem se sentir e interagir na sala de aula.

Você pode repensar aspectos como:

  • Como posso utilizar o espaço da sala de aula de diferentes maneiras para deixar meus alunos à vontade?
  • Como posso criar um espaço confortável que atenda às diversas necessidades dos meus estudantes ao longo do dia?
  • Como podemos reimaginar a biblioteca de nossas escolas para atender às necessidades e aos interesses dos estudantes de hoje?
  • Como podemos criar um estimulante e eficaz espaço para professores colaborarem?
  • Como podemos desenhar o campus escolar para melhor engajar e apoiar os aprendizes de hoje?

  • Processos e ferramentas

Sua escola já tem uma série de processos ou ferramentas que podem ser ou não úteis para levá-la ao sucesso.

Isso normalmente está fora da sala de aula e da interação para o aprendizado, já que diz respeito a como o sistema opera.

Todo processo foi desenhado e pode, portanto, ser redesenhado!

Algumas vezes, criar ferramentas pode ser essencial para apoiar o desenho de novos processos.

E para redesenhar você pode pensar em aspectos como:

  • Como posso engajar os pais como parte integrante da experiência de aprendizado dos alunos?
  • Como posso recrutar os melhores professores para a escola?
  • Como podemos reimaginar os processos de chegada e de saída na escola?
  • Como podemos planejar maneiras de nos mantermos bem e equilibrados?
  • Como podemos redesenhar os horários escolares para atender às atuais necessidades das famílias e dos professores?

  • Sistemas

Nem todas as pessoas podem tomar decisões sobre o sistema no qual estão inseridas.

Mas todas podem contribuir para o desenho de um novo sistema.

Planejar sistemas é equilibrar a complexidade de diferentes necessidades na operação.

Ao desenhar um sistema, sempre definimos estratégias de alto nível afirmando visões, prioridades, políticas e comunicações essenciais acerca das ideias.

Sobre isso é importante pensarmos:

  • Como podemos reinventar o currículo de uma rede respeitando as diferenças de cada escola?
  • Como podemos acompanhar o desenvolvimento de traços do caráter dos estudantes ao longo do tempo para formar nossa filosofia escolar mais intencionalmente?
  • Como podemos nos conectar mais com a comunidade no entorno da escola?
  • Como podemos utilizar nossas escolas como centros de pesquisa e desenvolvimento para escolas de todo o país?

Como é o Design Thinking na prática?

É importante compreendermos que o design thinking une com sucesso modelos da Psicologia, Economia e da Pedagogia.

Na prática, a aplicação do design thinking na abordagem do ensinar e do aprender se dá com as seguintes fases: descoberta, interpretação, ideação, experimentação e evolução.

design thinking

É uma abordagem estruturada para gerar e aprimorar ideias.

Essas cinco fases ajudam em seu desenvolvimento, desde identificar um desafio até encontrar e construir a solução.

O sucesso dessas fases depende também da habilidade de ser intuitivo, de interpretar o que se observa e de desenvolver ideias que são emocionalmente significativas para aqueles para quem se está trabalhando.

Habilidades estas, que você, como educador, já possui e utiliza.

A importância do design thinking na educação se deve principalmente ao entendimento de que, em um ambiente escolar, todos os elementos precisam estar conectados.

Esse processo é útil para que todos os elementos da sociedade que estejam envolvidos no processo educacional aprendam a situar as pessoas, coisas e os porquês no mundo.

E principalmente para aqueles que tem vontade de mudar o mundo.

Porém conscientes de que cada um fazendo sua parte e sendo parte integrante de um processo em que cada um pode fazer a diferença.

E é este modo de pensar, de se ver a vida, de se viver que define o design thinking.

É essa possibilidade de construir e realizar através de processos intencionais que impactem positivamente a escola, a sociedade, enfim, o mundo.

By | 2018-04-26T17:20:21+00:00 03.05.18|0 Comentários

Sobre o Autor:

Graduada em Ciências Biológicas (licenciatura) pelo Centro Universitário Claretiano de Batatais, Mestre em Ciências (ênfase Ensino de Biologia) pela Universidade de São Paulo. Trabalha com biologia geral, com ênfase em estratégicas didáticas e linguagem.

Deixar Um Comentário